Como aumentar as conversões com neuromarketing?

Share:
Como aumentar as conversões com neuromarketing?

Como aumentar as conversões com neuromarketing?

Neuromarketing: a união entre neurociência e marketing para tentar compreender a mente do consumidor e todo o comportamento de compras estimulado pelo desejo — uma percepção que pode levar à criação de campanhas bem direcionadas e ajudar na conversão.

O que será que o consumidor está pensando quando está prestes a realizar uma compra? Talvez seja uma necessidade, um desejo ou até mesmo para aproveitar uma oferta que ele julga imperdível.

A Neurociência estuda cientificamente o sistema nervoso, seu funcionamento e seus comandos, logo, o neuromarketing, procura compreender como o cérebro atua nas decisões de compras e como ele pode ser influenciado pelas campanhas de marketing.

O objetivo deste post é entender o conceito de neuromarketing, como ele funciona, seus benefícios, principais técnicas e como aplicar a estratégia na sua empresa para alcançar melhores resultados.

Continue a leitura e saiba porque é tão importante entender a mente do consumidor!

O que é o neuromarketing?
Quais sãos os fatores que estimulam o desejo de compra de um consumidor?

Se você conseguir encontrar respostas, ainda que sem uma conclusão exata, sua empresa pode ter boas chances de conversão ao implementar ações direcionadas a um determinado público.

As pessoas, em diversas situações, agem e decidem por impulso, condicionadas por um estímulo que podem ser instintivos.

O neuromarketing é um braço da Neurociência que se dedica a encontrar a ligação entre os insights do cérebro e as ações desenvolvidas em uma campanha de marketing.

A estratégia foi desenvolvida pelo professor holandês, Ale Smidts e popularizada pelo dr Gerald Zaltman, médico pesquisador de Harvard, que, através de ressonâncias, mapeou as atividades do cérebro quando em contato com incentivos de marketing.

Ele queria entender a conexão cerebral com a ação de compra, ou seja, como funciona a mente de um consumidor quando ele se vê diante de oportunidades de compra e decide comprar um produto em vez de outro.

Como funciona o neuromarketing?
Planejar e criar campanhas de marketing sem entender ao certo que público atingir, pode ser uma estratégia arriscada e dispendiosa. 

O neuromarketing parte do princípio de que as decisões do consumidor estão em subconsciente.

Em muitos casos não se pode determinar que ele vai escolher um ou outro produto racionalmente. Suas reações instintivas é que mostram as preferências e gostos, antes mesmo de ele definir que fará a compra.

Assim, os métodos utilizados no neuromarketing dão indícios de comportamento do consumidor e mostram um melhor direcionamento de ideais para criação de campanhas de marketing mais certeiras.

Ao pesquisar o comportamento do consumidor, usando as técnicas de monitoramento do cérebro dentro das regras do neuromarketing, estudiosos encontram melhor entendimento sobre o pensamento, a razão e o sentimento de cada pessoa.

Analise seu público-alvo
Para segmentar os interesses certos, idade e muito mais

Durante a ressonância é possível perceber as reações cerebrais quando uma pessoa se vê diante de cores, cheiros, textos e figuras. Cada alteração das ondas do cérebro demonstra como o consumidor se sente e pode fornecer elementos mais concretos para o trabalho de marketing.

Os resultados mostram o que a maioria compraria ou não compraria, possibilitando à marca, analisar com mais critério o lançamento ou permanência de um produto no mercado.

Pode ser que um produto seja aceito, mas precise de algumas alterações em sua fórmula ou layout. As alterações nas expressões, no olhar e na frequência cardíaca, são alguns dos pontos de reação do consumidor, que podem ser analisados.

O neuromarketing é um estudo relativamente novo, mas já revelou resultados expressivos que servem de base para as aplicações do marketing, por exemplo:

as emoções geram decisões subconscientes;

as imagens de mulheres bonitas, celebridades crianças e filhotes atraem mais;

os consumidores são mais motivados a evitar a dor do que buscar o prazer;

ao identificar elementos de marketing pessoalmente, os consumidores tendem a respostas positivas;

os consumidores têm reações emocionais particulares diante de algumas cores;

a aquisição de um produto de uma marca fidelizada ativa o centro de recompensas cerebral;

os visuais processam na mente mais rápido que as palavras;

os consumidores respondem menos a mensagens que consideram irrelevantes.

Quais são os princípios do neuromarketing?
Os estudos apontam que o cérebro sempre reage aos estímulos, o que quer dizer, que as decisões podem ser tomadas a partir de alguma influência. São decisões que o subconsciente produz com base em interações do dia a dia.

Com as informações em mãos sobre as possíveis reações dos consumidores, o marketing terá condições de montar estratégias com base nos princípios básicos do neuromarketing e alcançar melhores resultados.

Razão
Todas as decisões tomadas racionalmente, são analisadas com maior critério. Sendo assim, a campanha de marketing deve considerar o impacto e consequências sob a ótica analítica do consumidor.

As medidas adotadas e ações desencadeadas, devem passar por uma análise das possíveis reações dos consumidores, sobretudo, se a venda dos produtos e ações de divulgação envolver valores expressivos, como imóveis e carros, por exemplo.

Emoção
Menos analisadas, as vendas pela emoção acontecem com mais rapidez e eliminam o tempo de raciocínio do consumidor. São vendas mais fáceis, pautadas no desejo instantâneo de compra.

Normalmente são compras de produtos que causam uma emoção imediata e um desejo forte de aquisição. Acontece em muitos casos com produtos que tenham a ver com a alimentação ou vestuário.

Instinto
As compras baseadas no instinto costumam ser as mais necessárias, de urgência, em um micro-momento inevitável para o consumidor. É normalmente algo que causa dor e ele precisa obter uma solução imediata para o problema — os remédios são um bom exemplo de compras realizadas por instinto.

Qual a importância de entender a mente do consumidor?

Entender como pensa e o que sente o consumidor é estar um passo à frente na competitividade. As ações de marketing serão bem pensadas para atender a um público específico e mostrar exatamente o que ele deseja encontrar.

A leitura e a interpretação do comportamento do consumidor com base em suas reações cerebrais são vasão à diversas práticas estratégicas que podem ser aplicadas sem rodeios.

Se o consumidor se comporta de acordo com a influência dos aspectos pessoais, culturais, sociais e psicológicos, ter um conhecimento prévio de como o cérebro interage com o que vê, é criar chances reais de sucesso.

Conhecer a dor do consumidor e traçar um comparativo com o que a empresa pode oferecer abre a oportunidade às mudanças e adequações, para atender e corresponder às suas expectativas.

Benefícios de utilizar o neuromarketing nas estratégias de marketing da empresa

Apesar de cada consumidor ter um comportamento individualizado, pautado em suas experiências e necessidades, alguns aspectos são comuns aos seres humanos e podem ser explorados com base nos resultados do neuromarketing.

Com respostas mais concretas, os times responsáveis pela divulgação e vendas dos produtos serão beneficiados pelos resultados, facilitando a interação entre os setores e a otimização dos processos internos que tenham reflexo substancial no marketing.

Criação de campanhas de marketing direcionadas

Se você conhece as reações do seu público e sabe o que ele precisa ou deseja, poderá desenvolver campanhas focadas nesses quesitos. A definição de um formato personalizado tende a chamar a atenção do consumidor para aquilo que desperta algum sentimento no seu subconsciente.

Analise seu público-alvo

Para segmentar os interesses certos, idade e muito mais

Tomada de decisão mais efetiva

Realizar uma campanha de marketing envolve produção e preparação dos times para atender o consumidor e tudo isso tem um custo. Em todo negócio, o objetivo é de recuperar o investimento e obter lucro.

Ter o conhecimento antecipado do que pode influenciar a decisão do consumidor não coloca a empresa a frente da concorrência, como possibilita tomadas de decisão mais conscientes e efetivas.

Produtos mais bem desenvolvidos

Criar e desenvolver um novo produto dá trabalho e pode ter um ônus significativo. O neuromarketing, com o entendimento da mente consumidora, ajuda no desenvolvimento de produtos que terão de fato um potencial de vendas.

Experiência do consumidor mais agradável

Imagine um consumidor que entre na sua loja, no seu site ou tenha acesso a uma campanha de marketing realizada pela sua empresa e se depare exatamente com o que procura.

Certamente, a reação será de entusiasmo e disposição para realizar a compra — uma experiência agradável que pode torná-lo cliente fiel e defensor da marca.

Quais são as principais técnicas de neuromarketing?

O marketing deve ser estratégico e utilizar técnicas interessantes de acesso à mente do consumidor baseado no que já se conhece sobre as possíveis reações cerebrais do seu público.

Psicologia das Cores

As cores exercem grande influência sobre o desejo e a percepção das pessoas. Para chamar a atenção dos consumidores, muitas empresas utilizam tons como uma forma de interagir, causar impacto e aguçar a curiosidade.

Empresas como Coca-Cola e McDonald’s se valem das cores para atrair seus clientes. Inclusive, o ramo de alimentos é um dos que mais recorre a essa técnica, pois as cores como o vermelho, o amarelo e o roxo, por exemplo, estimulam o apetite.

Veja o efeito das cores sobre o subconsciente do consumidor!

roxo: inovação e inteligência;

vermelho: emoção e paixão;

rosa escuro: alegria e jovialidade;

azul: confiança e segurança;

laranja: sentimento agradável;

branco: transparência;

preto: luxo;

verde: tranquilidade e serenidade;

rosa claro: romance e delicadeza.

Storytelling

Essa é uma tendência que vem ganhando a simpatia e a atenção dos consumidores. Contar histórias, de um jeito simples, mas objetivo e encantador é a proposta do storytelling.

A história, associada à marca — com citação do produto ou não — deve trazer elementos que causem emoção, em uma narrativa fluída, convencendo o consumidor, em seu subconsciente, de que ele está diante do melhor produto e que deve comprar na sua empresa.

Gatilhos mentais

A ideia dessa técnica é ativar a necessidade de consumo, mostrando ao consumidor, com informações que podem ser subjetivas ou objetivas — dependendo da estratégia de marketing — que um determinado produto é indispensável.

Alguns gatilhos mentais como o da escassez, da exclusividade e da autoridade, produzem no consumidor um sentimento de urgência, considerando o que ele considera como algo do qual não possa abrir mão e que tenha um valor emocional efetivo.

Como aplicar o neuromarketing no negócio?

As aplicações do neuromarketing não exigem que você faça investimentos em estudos e pesquisas se não houver recursos suficientes para isso. Com base nos estudos já realizados e nos resultados apresentados, você pode trazer a abordagem para a realidade da sua empresa.

Em diversos pontos você pode encontrar similaridade com o seu negócio e utilizar as técnicas já empregadas, com modificações personalizadas para o seu negócio. De todo modo, é possível utilizar algumas alternativas simplificadas que podem ter um efeito positivo.

Conteúdos visuais

Se as imagens são processadas mais rápido que as palavras, disponibilizar conteúdos visuais é uma ótima maneira de alcançar a mente do consumidor. As mensagens subliminares presentes nas imagens têm maior poder de persuasão e ajudam o consumidor na hora de decidir a compra.

Cores

Reforçando que as cores costumam ser responsáveis por afetar as emoções e causar o impacto desejado nos consumidores. Os estímulos baseados nos tons podem estar presentes no site, a logo da empresa, na embalagem — há grandes chances de conversão em função da empatia gerada pelas cores.

Site responsivo

Imagine que o seu público esteja longe do computador e queira realizar uma consulta sobre um determinado produto vendido pela sua empresa. Se ele estiver interessado na compra, até chegar em casa ou no trabalho para acessar, poderá desistir no meio do caminho.

Ter um site responsivo é criar possibilidade de interação com o potencial cliente em qualquer tipo de equipamento que disponha de internet. Sendo assim, o consumidor pode acessar de um PC, um smartphone ou tablet e não sentir a diferença.

Preços

O preço pode não ser o único motivo de compra de um consumidor, mas exerce grande influência, por isso, apesar de considerar diversos outros fatores, o neuromarketing não pode deixar de fora o valor atrelado ao que motiva emocionalmente um indivíduo.

Principais exemplos de neuromarketing

Algumas empresas utilizaram o neuromarketing em suas estratégias de marketing e os resultados você pode conferir a seguir.

Hyundai – pesquisa realizada com 15 homens e 15 mulheres a partir de testes de usabilidade do veículo;

PepsiCO – pesquisa realizada para entender o real impacto de uma das propagandas de Cheetos nos consumidores;

Yahoo – pesquisa realizada com EEG para avaliar o impacto de uma campanha de 60 segundo na TV e na internet, nos espectadores;

Microsoft – pesquisa realizada por EEG para entender como a publicidade que aparecia durante o uso de videogames era percebida pelos usuários.

Grupo Boticário – pesquisa realizada para comparar a preferência do consumidor entre a nova e a antiga versão de produtos.

Como uma agência especializada pode ajudar?

A aplicação de estratégias baseadas nos estudos e pesquisas do neuromarketing requer um planejamento bem elaborado de um conjunto de técnicas e práticas, considerando os objetivos, os recursos e a necessidade da empresa.

Contar com a ajuda de uma agência pode acelerar o processo, em função da disponibilização de profissionais especialistas em produzir ideais e estratégias focadas na conversão — enquanto isso, você e toda a equipe terão mais tempo de se dedicar ao core business da empresa e imparcialidade para avaliar os resultados.

O neuromarketing pode ser um potente aliado e trazer vantagens para a sua empresa em médio e longo prazo. Por isso, o consumidor, como alvo de maior interesse do negócio, deve ser priorizado em todas as aplicações de métodos e práticas.

Nenhum comentário